segunda-feira, 11 de abril de 2011



Querida Many,

Hoje a inspiração para o meu post é esta bonita amizade que começamos a cultivar.
Nas aulas de Francês, ainda nos tempos idos da faculdade, li o clássico O Pequeno Príncipe .
Durante a leitura, difícil, escrita na Língua original, aquela frase me arrebatou:
"Tu deviens responsable pour toujours de ce 
que tu as apprivoisé"
 
Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas - aprenda isto pequena Desiree porque já estou infinitamente cativada.
Aquele sábado em que você surgiu em minha vida, ainda assim meio sem saber
se tornou dia especial para nós.
Daquele instante em diante nossos caminhos se tornariam muito mais serenos, e nem ao menos sabíamos disto. 
Não me peça para mensurar a proporção que este momento viria a tomar em nossas vidas, me faltariam palavras para fazê-lo.
Talvez seja “Um marco no tempo” como diriam os senhores da História.
Naquela noite olhávamos para uma mesma janela:
O pintor com sua maestria singular  destilava sua emoção ao criar aquela imagem.
Para você ela, a imagem, ainda que bela, se mostrava cinzenta;
Para mim refletia a mais perfeita felicidade da qual eu não mais queria me separar.
E que bom que ao quedar do pincel do grande artista você se deixou sensibilizar pela janela que eu via, que bom que ela se fez mais imponente, que bom que dela você também não quis mais se separar!

" No caminho, os olhares, os vazios, se chocaram e tudo ficou mais claro e tudo ficou mais claro"
A canção uniu nossos mundos e nele hoje nossas vidas se completam.
Que sentimento grandioso é este que nos faz querer sempre bem, que nos faz querer está sempre perto, para cuidar , para zelar, para proteger?!
Destas perguntas, as respostas são o que a mim menos interessam.
Interessa sempre te ter por perto pra sentir a tua existência a exalar este perfume doce dos seus anos juvenis por onde quer que os teus caminhos te levem.
Interessa ver o seu sorriso se abrir para a vida que acaba de recomeçar.
Interessa caminhar com você por esta estrada sem saber no fim onde vamos chegar.
Guimarães Rosa já anunciava:

" Na verdade o que importa não são os pontos de partida ou de chegada, o que realmente importa é a travessia"
Como é bom saber que você existe, como é bom saber que você faz tão bem a minha vida.
Sigamos assim, cultivando esta amizade tão rara, não deixemos de regar.
Arranquemos as redomas, embora elas protejam, também sufocam.
Deixemo-nos experimentar todas as sensações que este mundo tão infinito pode nos proporcionar.
Te amo minha amiga ahhh como eu já te amo!
Nos falta aquele abraço, silencioso, daqueles que o pulsar do coração  revela tudo o que se há por dizer para que enfim você possa compreender o que
aqui tentei te expressar.